Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

(Sem) Manual de Instruções

Porque a vida não tem manual de instruções. Um pouco de tudo o que é importante, tratado com uma pitada de sátira e sarcasmo!

(Sem) Manual de Instruções

Porque a vida não tem manual de instruções. Um pouco de tudo o que é importante, tratado com uma pitada de sátira e sarcasmo!

A tortura de largar o cigarro...

79b9e438fdf47de714d4855de277b6ec.jpg

 

 

 

A propósito de nada, visto que o Dia Mundial do Não Fumador já foi há mais de 1 mês, resolvi partilhar o meu tormento. O tormento de quem está a deixar de fumar.

Correcção, não estou “a deixar” de fumar.

Deixei efectivamente de fumar há 1 mês, 14 dias, 3 horas, 49 minutos e 57 segundos. Apenas ainda não me habituei a esse facto…

Já andava com vontade de largar o vício há algum tempo. A saúde pesada e a carteira leve acordaram um bichinho, que me andava a chatear sempre que acendia o malfadado rolinho. Marquei a data com umas semanitas de antecedência, para começar a diminuir a dose e preparar-me psicologicamente. Ora no dia combinado, enchi-me de coragem, fiz desaparecer o maço e “bora lá que és capaz”.

 

Nas primeiras 48 horas juro-vos que acreditei que ia falecer. Mãos a tremer, visão a desfocar, enjoos e calafrios, tive de tudo. Sentada no escritório nem a boca conseguia abrir para a piadola dos colegas. Por vezes a vontade tomava conta do meu cérebro e não conseguia pensar em mais nada. Não me conseguia lembrar de nenhuma das razões que me tinham levado a deixar. Nada. Zero. Estupidifiquei.

Cada vez que me sentia assim “zombie” comia um rebuçado (sem açúcar, para não aliar a isto tudo o ganho de peso, era o que me faltava para acabar logo com toda a força de vontade que pudesse restar).

Mas depois esta fase passou e ao 3º dia estava fina. Isto é, fisicamente falando.

Já a cabeça, ui… essa é mais difícil de contentar com rebuçados.

 

Tenho vindo a esquecer as razões que me levaram a deixar de fumar e penso com frequência coisas como “Não era assim tão mau” ou  “Não gastava assim tanto por mês”, ou ainda O que é que eu faço agora com a mão que não está a mexer o café??”

Posso dizer com toda a certeza que o que me faz continuar não é força de vontade. Acho que é mesmo só teimosia. Isso e uma aplicação toda jeitosa que instalei no telemóvel e que me vai dizendo coisas como: “Congratulations for 1.000 hours smoke free. Here is you badge.”

Pois é… e a verdade é que a minha lista de razões para deixar de fumar, aquela de que eu preciso de me recordar constantemente, é curta e simples e deve aplicar-se praticamente a todos os fumadores:

 

# 1 Quero ser mais saudável – Eu sei, é cliché. Mas com isto não me refiro ao tão falado aumento do risco de cancro do pulmão. Nesse ponto, o diabinho que habita sobre o meu ombro direito reponde com toda a ironia “Sim sim, mas também posso sair de casa e ser atropelada por um autocarro amanhã.”

Quando falo em ser mais saudável, falo em conseguir correr mais do que 2 minutos sem sentir o coração a sair pela boca. Falo em não me sentir mal-cheirosa para os que não fumam. Falo em não querer ver a pele à volta dos meus lábios a ficar cheia de risquinhos (as rugas dos fumadores). Falo em reparar que os meus dentes estão a ficar cada vez mais amarelos e que mais dia menos dia lá se foi o sorriso pepsodent que me caracterizava…

 

# 2 Não quero dar esse mau exemplo ao meu filho – Sim, quanto a este ponto não há volta a dar. Filhos de fumadores quase de certeza que vão fumar. Há excepções, como em tudo, mas sejamos realistas, a probabilidade é esta. Se eu digo ao meu filho para lavar os dentes, para não se encher de doces e comer a sopa, porque raio lhe dou este péssimo exemplo? Quando o meu filho aos 11 anos começou a ter curiosidade em mexer no meu maço e cheirar os meus cigarros, percebi que para ele os adultos fumarem é o mais normal e que ele o iria fazer em adulto com toda a naturalidade. Reparei inclusive que ele já gosta do cheiro do cigarro. E a culpa é minha, toda minha.

 

# 3 Quero ir de férias – ora bem, as minhas contas foram feitas pela aplicação jeitosinha que instalei no telemóvel, com base em 1 maço por mês a 4,20€ o maço. Neste período de 1 mês, 14 dias, 3 horas, 59 minutos e 4 segundos, eu poupei 185,50 Euros. Isto representa uma poupança mensal de 126,00 Euros.

São 1.533,00€ por ano! 1533 EUROS POR ANO!! Ouviram bem?? Sabem o que isso significa? Cá em casa fomos dois a deixar de fumar, portanto este ano vamos ter 3.066,00 Euros a mais no orçamento, o suficiente para tirarmos umas grandes, saudáveis e merecidas férias.

 

Já agora… para quem estiver interessado, a aplicação que instalei e que tem dado uma ajuda valente é esta: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.portablepixels.smokefree

 

Sem pressão. Just saying....

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.